Boticário

domingo, 28 de agosto de 2016

terça-feira, 12 de julho de 2016

sexta-feira, 29 de abril de 2016

O socorro - Millôr Fernandes Interpretação textual

O socorro
                                                                   Millôr Fernandes

"Ele foi cavando, cavando, cavando, pois sua profissão - coveiro - era cavar. Mas, de repente, na distração do ofício que amava, percebeu que cavara demais. Tentou sair da cova e não conseguiu. Levantou o olhar para cima e viu que sozinho não conseguiria sair. Gritou. Ninguém
atendeu. Gritou mais forte.
Ninguém veio. Enrouqueceu de gritar, cansou de esbravejar, desistiu com a noite. Sentou-se no
fundo da cova, desesperado. A noite chegou, subiu, fez-se o silêncio das horas tardias. Bateu o frio da madrugada e, na noite escura, não se ouviu um som humano, embora o cemitério estivesse cheio de pipilos e coaxares naturais dos matos. 
Só pouco depois da meia-noite é que uns passos. Deitado no fundo da cova, o coveiro gritou. Os passos se aproximaram. Uma
cabeça ébria apareceu lá em cima, perguntou o que havia: "O que é que há?"
O coveiro então gritou, desesperado: "Tire-me daqui, por favor. Estou com um frio terrível!"
"Mas, coitado!" - condoeu-se o bêbado - "Tem toda razão de estar com frio. Alguém tirou a terra de cima de você, meu pobre mortinho!" E, pegando a pá, encheu-a epôs-se a cobri-lo cuidadosamente.

Moral: Nos momentos graves, é preciso verificar muito bem para quem se apela."

/

01. Lendo o texto, você conclui que o coveiro
A) não gostava do que fazia.
B) era uma pessoa atenta ao que fazia.
C) recebeu ajuda, rapidamente, do bêbado.
D) não foi capaz de pedir ajuda.
E) não foi bem sucedido no seu ofício.

02. Que afirmativa abaixo expressa a mesma ideia da moral do texto?
A) Deve-se pedir socorro a qualquer pessoa.
B) Não importa a quem se pede ajuda.
C) Ao precisar de ajuda, deve-se saber a quem pedir.
D) Nunca se precisa de ajuda.
 E) Ao ajudar, não se deve cobrar.

03. Por que o bêbado não atendeu ao pedido do coveiro?
A) Porque ele não ouviu o seu pedido de socorro.
B) Porque enterrar defunto era o seu ofício..
C) Porque ele não estava em plena consciência dos seus atos.
D) Porque ele queria brincar com o coveiro
E) Porque ele não era capaz de carregar o coveiro.

04. Ao cair na cova, o coveiro
A) ficou sem reação.
B) não pediu socorro.
C) recebeu ajuda imediata.
D) sempre teve esperança.
E) se viu impotente.

05. Ao dizer Alguém tirou a terra de cima de você, meu pobre mortinho!, o bêbado
A) achou que o coveiro estava se divertindo.
B) sentiu pena do coveiro por estar coberto de terra.
C) não entendeu a sua situação.
D) ) tratou o coveiro com palavras indelicadas.
E) humilhou o coveiro.

06. Qual característica não se observou no coveiro?
A) Distraído.
B) Trabalhador.
C) Persistente.
D) Apavorado.
E) Preguiçoso.

07. Durante a noite, o coveiro
A) ouviu bastantes vozes de pessoas.
B) presenciou o barulho dos animais.
C) teve ajuda de várias pessoas.
D) sentiu bastante frio.

E) saiu da cova.


Estudo do texto
1) Explique o desespero do coveiro.

2) Por que ninguém atendeu quando o homem gritou?

3) Qual era o único som que se ouvia na madrugada?

4) "Só pouco depois da meia-noite é que lá vieram uns passos." De quem eram esses passos?

5) A expressão "ébria" significa:
a) generosa                           c) embriagada
b) espantada                         d) assustadora

6) Em "condoeu-se o bêbado", a expressão em destaque significa:
a) ficou com dor                    c) ficou contente
b) ficou com pena                 d) ficou sem reação

7) O homem disse que estava com muito frio. O que o bêbado entendeu dessa afirmação?

8)  A palavra "mortinho" foi usada no diminutivo para indicar tamanho pequeno ou afetividade?

9) A função da moral é transmitir um ensinamento. Explique o ensinamento transmitido pela moral desse texto.

Resposta:
1) Ele ficou preso em uma cova.
2) Porque não havia ninguém no cemitério.
3) Pipilos e coaxares naturais.
4) De um bêbado.
5) c) embriagada
6) b) ficou com pena
7) Que ele estava com frio porque era um morto e tiraram a terra de cima dele.
8) afetividade

9) Que dependendo de quem se propõe a te ajudar, essa pessoa acaba atrapalhando ainda mais.

O menino e o padre- Interpretação de conto regional


O menino e o padre

Um padre andava pelo sertão, e certa vez com muita sede, aproximou-se de uma cabana, e chamou por alguém de dentro. Veio então lhe atender, um menino muito mirrado.
- Bom dia meu filho, você não tem por aí uma aguinha aqui pro padre?
- Água tem não senhor, aqui só tem um pote cheio de garapa de açúcar, se o senhor quiser... - disse o menino.
- Serve, vá buscar por favor. - pediu-lhe o padre.
E o menino trouxe a garapa dentro de uma cabaça. O padre bebeu bastante e o menino ofereceu mais. Meio desconfiado, mas como estava com muita sede o padre aceitou.
Depois de beber, o padre curioso perguntou ao menino:
- Me diga uma coisa, sua mãe não vai brigar com você por causa dessa garapa?
-Briga não senhor. Ela não quer mais essa garapa, porque tinha uma barata morta dentro do pote.
Surpreso e revoltado, o padre atirou a cabaça no chão e esta quebrou-se em mil pedaços, e exclamou:
- Moleque danado, por que não me avisou antes?
O menino olhou desesperado para o padre, e então disse em tom de lamento:
- Agora sim eu vou levar uma surra das grandes, o senhor acaba de quebrar a cabacinha de vovó fazer xixi dentro!
Nota: Conto regional do nordeste, muito conhecido em todo interior de Pernambuco ao Maranhão. Origem desconhecida
1) A imagem se refere a quais linhas do texto?
2) Procure no dicionário o significado das palavras destacadas no texto.
3)Que fatos ocorreram no texto que fizeram com que o padre ficasse com nojo da garapa?
4) De que outra forma o padre chamou ao menino?
5) Os Estados de Pernambuco e Maranhão ficam em que região do Brasil?
6) Qual a fonte do texto, quantos parágrafos e linhas ele tem?
7) Crie uma fala abaixo da última fala do menino demonstrando a reação negativa do padre.
8) Na linha 17 do texto a palavra "surra" pode ser substituída por:
( ) briga ( ) bronca
( ) coça ( ) corrida
9) Em que tipo de moradia residia o menino? ____________________________________
10) De acordo com o texto, podemos afirmar que o menino morava com...
( ) a mãe e a avó ( ) somente com a avó
( ) somente com a mãe
11) Complete a frase com reticências da linha 5 do texto.
12) O texto pode ser classificado como:
( ) fábula ( ) poesia
( ) reportagem ( ) conto
13) Retire do texto uma frase negativa: ______________________________________________
14) A expressão "cidade do interior" se refere a:
( ) uma cidade grande ( ) uma cidade afastada
( ) uma cidade pequena

quinta-feira, 21 de abril de 2016

A boa sopa - Interpretação de conto 2/3º anos

A BOA SOPA
 

         Era uma vez uma mocinha pobre e piedosa que vivia sozinha com a mãe. Como não havia mais nada para comer na casa delas, a menina entrou na floresta em busca de alguma coisa. Na floresta ela encontrou uma mulher idosa que tinha conhecimento de sua pobreza e lhe deu de presente uma panelinha à qual era suficiente dizer: “panelinha, cozinhe!”, para que na mesma hora ela cozinhasse uma excelente sopa de painço bem cremosa; e quando alguém dizia: “panelinha, pode parar!”, ela logo parava de fazer a sopa.
         A menina voltou para casa levando a panela e com aquele presente a pobreza das duas acabou, pois mãe e filha comiam a boa sopa da panelinha sempre que tinham vontade, e na quantidade que quisessem. Uma vez a menina havia saído e a mãe disse: “panelinha, cozinhe!”. A panela cozinhou e a mãe comeu até ficar satisfeita; quando a fome acabou, a mãe quis que a panelinha parasse, mas como ela não sabia o que era preciso dizer, a panela continuou fazendo a sopa e a sopa transbordou, a panelinha continuou e a sopa escorreu pela cozinha, encheu a cozinha, escorreu pela casa, e depois invadiu a casa dos vizinhos, depois a rua, e continuou sempre escorrendo por todos os lugares, como se o mundo todo fosse ficar cheio de sopa para que ninguém mais sentisse fome.
É, mas o problema é que ninguém sabia o que fazer para resolver a situação. A rua inteira, as outras ruas, tudo cheio de sopa, e quando em toda a cidade só tinha sobrado uma casinha que não estava cheia de sopa, a menina voltou para casa e disse calmamente: “panelinha, pode parar!”, e a panela parou e a enchente de sopa acabou.
Só que todo aquele que quisesse entrar na cidade era obrigado a abrir caminho comendo a sopa.

FONTE: CONTOS DE GRIMM – COMPANHIA DAS LETRINHAS



Responda
1.    Qual é o título do texto?
______________________________________________________________________________
2.    Quantos parágrafos existem no texto?
______________________________________________________________________________
3.    Qual é o tema do texto?
____________________________________________________________________________
    4. Leia o trecho abaixo e responda:
“era uma vez uma mocinha pobre e piedosa que vivia sozinha com a mãe. Como não havia mais nada para comer na casa delas, a menina entrou na floresta em busca de alguma coisa”.
O que a menina estava procurando? Justifique sua resposta.
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
5. A panelinha cozinhava quando era dito “panelinha cozinhe”, porque ela fazia isso? Marque a alternativa correta.
A. (  ) a panelinha era bondosa.
B. (  ) a panelinha sabia fazer comida.


C. ( ) a panelinha tinha fome.
D. ( ) a panelinha era mágica.



6. Quem era a mulher idosa que a menina encontrou?
A. ( ) uma fada.
B. ( ) uma bruxa.
C. ( ) a avó da menina.
D. ( ) uma mulher rica.

7. Que problema a mãe da mocinha causou?
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

8. Qual foi o motivo que levou a mãe da menina a causar problemas na cidade
A. ( ) ela estava com fome.
B. ( ) queria que a panelinha cozinhasse muita comida.
C. ( ) não sabia o que era preciso dizer à panelinha.
D. ( ) ela não tinha poderes.

9. Como se podia entrar na cidade?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________






QUESTÕES

1.Releia o trecho abaixo:

“Era uma vez uma mocinha pobre e piedosa que vivia sozinha com a mãe. Como não havia mais nada para comer na casa delas, a menina entrou na floresta em busca de alguma coisa”.

O que a menina estava procurando? Justifique.
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


2.Para a panelinha começar a cozinhar era suficiente dizer “Panelinha, cozinhe”. Isso quer dizer que:

a. (     ) a panelinha era bondosa.
b. (     ) a panelinha sabia fazer comida.
c. (     ) a panelinha tinha fome.
d. (    ) a panelinha era mágica.

3.Na floresta, a menina encontrou uma mulher idosa. Quem essa mulher idosa poderia ser?
a. (    ) Uma fada.
b. (     ) Uma bruxa.
c. (     ) A avó da menina.
d. (     ) Uma mulher rica.

4.Que problema a mãe da mocinha causou?
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


5.A mãe da menina causou o problema na cidade porque:

a. (     )   ela estava com fome.
b. (     )   queria que a panelinha cozinhasse muita comida.
c. (     )  não sabia o que era preciso dizer à panelinha.
d. (     )   ela não tinha poderes.

6.Leia novamente o trecho abaixo:

“É, mas o problema é que ninguém sabia o que fazer para resolver a situação”.

Qual era a situação a que o trecho se refere? Como o problema foi resolvido?
­­­­­­­­­­­­­­­­­­__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

7.O que era preciso fazer para poder entrar na cidade?
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


8.Essa história se desenvolve por causa de um problema principal. Qual é?
                   
a. (   )  A fome da menina.
b. (   ) A comida que acabou na casa da menina.
c. (   ) A mãe que não sabia fazer a panela parar.
d. (   ) A mulher idosa que deu a panelinha.


B